Sessão “O pulo do gato” – Enutropia – Agrifax

Olá meus povos e minhas povas,

Eu, quando encontrei o Agrifax dando sopa na dimensão enutrof.

Eu, quando encontrei o Agrifax dando sopa na dimensão enutrof.

Hoje trago para vocês mais um vídeo da sessão “O pulo do gato” e dessa vez o procurado em questão é o mesmo que dá nome ao post, Agrifax, um perfuratroz muito malvado que habita a zona mid level de enutropia, mas que não é nenhum bicho de sete cabeças para derrotar, primeiramente, vamos descobrir o que significa a expressão “o pulo do gato”:

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

Agora sim, vamos ao que interesasa, o que devemos saber sobre Agrifax antes de entrar em combate:

A tática ninja de combate dele

Agrifax tem uma tática simples de combate, ele abusa de um hit kill (o famoso HK), essa magia pode ser conjurada por ele uma vez a cada três (3) turnos;

Além disso, toda vez que ele começa o seu próprio turno, Agrifax ganha 1PM (duração infinita) o que faz com que ele sempre ande uma casa a mais todo turno, isso facilita com que ele alcance alguém para usar o hit kill;

No mais, é só bater, no melhor estilo pé na porta e… (completem a frase)

Dica do mestre puka:

Não é obrigatório, uma vez que o combate contra ele é bem simples, mas caso você queira, leve um personagem que abuse da retirada de PMs, isso facilitará muito a sua vida;

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço, Axe-blond, deusa menor do conhecimento.

Sessão “O pulo do gato” – Amakna – Sphincter Cell

Olá meus povos e minhas povas,

Sua reação quando eu posto uma sessão nova, não minta, eu sei que é assim.

Sua reação quando eu posto uma sessão nova, não minta, eu sei que é assim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Continuando com os vídeos da sessão “o pulo do gato, hoje eu trago pra vocês algo que não faço a muito tempo, vídeo de um boss de dungeon.

A luta contra esse cara não é algo muito tenso e eu considero ele um oponente simples (mas no passado ele já foi o terror de muitos corações), antes de saber como derrotá-lo vamos primeiro aprender o que é esse tal pulo do gato:

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

Agora que você já sabe do que se trata esta joça de post, vamos ao que interessa, o que você precisa saber para derrotar este cara:

1º Sphincter pula todo turno e só ataca colado (em uma célula adjacente), portanto, se você conseguir deixá-lo em gravidade ou retirar seus PMs isso ajuda muito, inclusive para retirar as resistências dele, processo que explico daqui a pouco;

2º Cuidado com o rato preto, ele utiliza um buff chamado peste negra que faz com quê toda pessoa com ele morra ao ser atacado por este rato;

3º Cuidado com o rato branco, ele utiliza um buff chamado peste branca, que faz com que qualquer pessoa que esteja com ele morra se for curada;

Como tirar a resistência do sphincter:

No vídeo você perceberá que Sphincter invoca quatro tartarugas, cada uma dela tem uma cor e representa um elemento diferente:

Azul – àgua

Amarelo – Ar

Verde – Terra

Vermelha – Fogo

Para tirar a resistência do boss você precisa deixar ele ao lado de uma dessas tartarugas e não deixar elas andarem, dessa forma, no turno delas, as mesmas irão retirar 200% de resistência equivalente ao seu elemento, então é só bater.

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço axe-blond, deusa menor do conhecimento.

Sessão “O pulo do gato” – Amakna – Anatak Diskedor

Olá meus povos e minhas povas,

 

Continuando com os posts da sessão “O pulo do gato”, hoje trago para vocês um singelo guia sobre como derrotar o procurado que dá nome ao post, Anatak Diskedor;

Ele é um dos sete novos procurados implementados na versão 2.28 do jogo e não é nenhum bicho de sete cabeças para derrotar, mas como de costume, primeiro vamos aprender o que significa a expressão “O pulo do gato”

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

Agora que você já sabe, vamos ao que interessa, para derrotar essa criatura você precisa apenas aprender algumas coisinhas a respeito, são elas:

1º Ele não tem estado invulnerável, ou seja, não precisa ser desbuffado, então vocês podem usar a minha velha frase, “a tática é pé na porta e soco na cara”, só isso;

Sim, isso mesmo que você leu, não tem nenhuma tática específica para derrotar esse cara e ele também não tem nenhum “Ebó da galinha preta”, sua tática de luta consiste em ir pra cima e usar vários ataques em área que causam poucos danos mas usados em grandes quantidades, o que no final causa um dano razoavelmente alto;

Fora isso, ele utiliza um ataque que tem alcance fixo de três células em linha reta que faz com que ele troque de lugar com o alvo e tire cem pontos de movimento do mesmo no processo (esse efeito não acontece sempre, não consegui calcular o cd, mas a luta é tão fácil que você nem precisa se estressar com isso);

Dica do mestre Puka:

Como este moço aí só ataca colado, uma boa tática é manter ele longe e retirar seus PMs, assim ele fica apenas chupando dedo e apanhando;

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço, Axe-Blond, deusa menor do conhecimento.

 

Sessão “O pulo do gato” – Amakna – Tyranna, a terrível

Olá meus povos e minhas povas,

Eu, quando encontrei a Tyranna de bobeira no meio do mato...

Eu, quando encontrei a Tyranna de bobeira no meio do mato…

Finalmente a faculdade parou de me apertar (tive uns setecentos seminários na mesma semana) e eu pude escrever alguma coisa nova pra colocar nesta joça de blog, desta vez eu vou mostrar como capturar essa procurada que dá nome ao post, Tyranna, a terrível, a luta é simples e não tem dificuldade;

De onde saiu essa nova procurada?

Tyranna foi implementada recentemente dentro do jogo, ela é um dos sete novos procurados que estão no game e vieram junto com a att 2.28 (a mesma atualização dos novos troféus), todos esses novos procurados tem um tempo elevado de respanw (cerca de doze horas) e essa atualização veio para que a ankama faça o que ela ela faz de melhor, encher linguiça;

Então vamos ao que interessa:

O que você precisa saber para derrotar a Tyrana?

A luta é muito simples, como eu disse acima, Tyranna não precisa ser desbuffada, não tem nenhum hit kill ou qualquer coisa mais apelativa, mas tem dois efeitos simples, são eles:

1º Toda vez que sofre dano ela troca de lugar com o seu agressor;

2º Ela reflete uma parte irrisória dos dos danos quando é acertada numa célula adjacente (isso não acontece toda hora, a luta é tão fácil que eu nem quis estudar mais sobre ela)

Agora é só pegar a luta e usar a velha tática do “pé na porta e soco na cara” para ser feliz, vá pegar sua recompensa soldado;

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço, Axe-Blond, deusa menor do conhecimento.

A mesa do mestre puka – “Maldita falha crítica” – By Guilherme Henrique

Olá meus povos e minhas povas,

Imagem meramente ilustrativa. Artista: Glanco Justicar

Imagem meramente ilustrativa.
Artista: Glanco Justicar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Finalmente, depois de duzentos anos, alguém teve coragem de escrever um conto e me enviar para que eu aderisse à mesa, o felizardo dessa vez foi o Guilherme Henrique, também conhecido como Joana-Mukirana;

Confesso que isso me fez lembrar do meu antigo passado no dofus, quando essas coisas aconteciam e você ganhava uma luta perdida justamente porque a adaga do oponente deu falha crítica e ele perdeu o turno;

Então vamos ao que interessa, espero que gostem:

Estava exaurido, apoiado em sua fiel amiga, sua espada, hematomas por todo o corpo, pressentindo a morte certa que o esperava. O discípulo de Pandawa absorveu todos seus golpes com imensurável maestria, esquivou-se de suas mais hábeis habilidades. Jamais provara uma batalha a qual não visse uma chance de vitória. Fechou seus olhos, e pediu ao Deus Yop um ultimo auxilio para acabar com o seu adversário. De repente uma força inigualável tomou conta do ambiente, um poder de natureza divina parecia exalar do Jovem guerreiro. Levantou-se com um sorriso de desdém, olhos em chamas e partiu com ferocidade em direção ao oponente. Por alguns segundos ele saboreou a sua maior vitória, porém em um descuido tropeçou em uma pedra e caiu de cara no campo de batalha. Aproveitando o descuido do Jovem Yop, o Andarilho Eufórico o tornou cativo, e antes do guerreiro desmaiar, suas ultimas palavras foram, ” Maldita Falha critica”.

Gostei, curtinho, simples e me agradou, espero que mais pessoas tomem coragem e enviem suas “coisitas” também;

Espero que gostem, um abraço, Axe-Blond.

A mesa do mestre Puka – Kinai e Aliendra.

Olá meus povos e minhas povas,

Imagem da minha despedida do dofus com a alihana, imagem meramente ilustrativa.

Imagem da minha despedida do dofus com a alihana, imagem meramente ilustrativa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fiz este post apenas como exemplo para vocês que querem criar uma história para enviar mas não sabem como fazer, hoje, eu postarei um trecho dos livros que já escrevi, mas que pretendo fazer outra coisa com eles futuramente, espero que curtam:

“A jovem dama irrompeu a cachoeira do local e invadiu o pequeno quarto que havia atrás dela, lá dentro estava aquela a quem ela chamava de mestra, uma senhora feca que, mesmo tendo um rosto jovem, ela sabia que tinha idade para ser sua tataravó. A jovem senhora de cabelo amarelo nada falou, não fez alguma menção de não ter gostado daquela entrada, apenas esperou até a jovem impetuosa que ela carinhosamente chamava de minha flor falar.

– Eu ainda não consigo aceitar que você, mesmo tendo poder para virar uma deusa menor preferiu se manter mortal, um reles mortal assim como eu e continuar carregando suas duas maldições, você deveria ser algo maior e superior, assim como os deuses! – indagou a jovem, com seu tom de voz sempre agressivo.

A senhora olhou com olhos de avó para a menina – para ela a jovem sadida ainda era uma menina, mesmo tendo idade para ser adulta – ficou calada mais uns instantes e enfim começou a falar.

– Eu já disse que prefiro continuar assim pois os mortais são superiores aos deuses, sei que não posso morrer por causas naturais e não envelheço devido ao feitiço xelor que alterou meu relógio biológico fazendo com que meu corpo não envelheça mais, sei que meu poder, devido a minha idade, é maior que o de muitos guerreiros que existem por aí, mas isso não me faz superior ou uma deusa, ou até mesmo deusa menor, eu não sou diferente de você, sou apenas uma pessoa mais velha e só.

A garota, enfurecida, utiliza um de seus feitiços e invoca uma sarça que bate violentamente na parede e derruba uma das estantes cheias de livros, então se acalma, pondera, começa a arrumar a bagunça que fez e pergunta:

– Como assim? Mortais superiores a deuses? Você está ficando louca, deve ser a sua idade avançada.

Kinai, que brincava de manipular a água da cachoeira para fazer bolhas vira-se lentamente, com a mesma expressão de avó para a sadidete, respira fundo e procura a explicação que julgava ser perfeita para mostrar àquela menina o motivo de achar os mortais superiores aos deuses, até que finalmente decide falar:

– Minha flor, isso é simples de perceber e até mesmo de explicar, os deuses são os deuses antes mesmo de criarem suas raças, Sadida sempre foi e sempre será Sadida, o deus da natureza, Feca sempre foi e sempre será feca, a deusa da proteção. Eles sempre foram isso desde antes da criação do mundo e sempre serão isso e apenas isso. Os deuses são imutáveis. Por isso os mortais são superiores.

A sadidete respirou fundo, relaxou as mãos e a boca.

– Isso não pode ser verdade. Se os mortais são superiores, porque eles cultuam os deuses?

– Os mortais fazem o que querem minha flor – disse Kinai – E são o que querem. Podem ser ferreiros, sapateiros, guardas, mercadores. Enquanto os deuses estão sempre presos nas suas celas de poder imensurável. Nunca podem mudar. É por isso que prefiro ser uma mortal e não uma semi deusa, você consegue me compreender agora?

Sem argumentos, a sadidete vai embora – Voltarei depois, preciso me aventurar um pouco pois cansei de toda essa paz daqui – disse antes de sair.

Kinai volta para seu ponto de meditação e lá fica “vai menina, cuide bem dos seus amigos e treinem, vocês irão precisar de toda experiência em batalhas possível para enfrentar o mal que estar por vir” pensou.

Então a paz volta ao recinto e tudo que ela ouvia era o som da cachoeira de Akwadala.”

Caso o conto acima não lhe ajude, deixo também um link para um post legal ensinando a como criar um bom background para seu personagem:

http://www.fantasiaemjogo.com.br/dicas/10-dicas-para-criar-um-bom-personagem/

Espero que curtam e me mandem histórinhas *_*, um abraço, Axe Blond, Deusa menor do conhecimento.

A mesa do mestre Puka

Olá meus povos e minhas povas,

Foto da minha magnífica mão com os dados que utilizo para jogar rpg de mesa.

Foto da minha magnífica mão com os dados que utilizo para jogar rpg de mesa.

Hoje decidi desengavetar um antigo projeto da Black Power, da época onde pensamos em implantar o alinhamento seriane o servidor mas desistimos devido a imaturidade da comunidade (que não mudou muito);

Não, não estou pensando em ativar o alinhamento seriane ou as famosas asas verdes, mesmo que fosse possível (esse alinhamento não existe mais), o que eu pretendo é reativar parte do projeto, meu projeto de roleplay;

Caso vocês não saibam, eu também sou narrador e jogador de rpg de mesa (pacote nerd completo, mesmo não sendo um) e por isso eu curto uma boa história narrada (por isso eu comecei a jogar dofus, na época as histórias eram lindas) então eu decidi transferir isso para vocês, caso vocês não saibam, o narrador de rpg costuma falar que “tem uma mesa de rpg de zumbis” por exemplo, é por isso que o meu projeto vai se chamar, pasmem, A MESA DO MESTRE PUKA (eu sou um gênio, deveria ganhar um prêmio devido a tamanha criatividade);

O projeto é simples, vocês escrevem, eu leio e posto o que achar interessante, serão dois posts semanais, todas as terças e quintas – feiras, e eu farei de tudo para postar todas as boas histórias que enviarem, mas nem tudo serão flores, vocês terão que seguir algumas regrinhas, são elas:

1º evite gírias, dialetos ou quaisquer outras formas que vocês denominem, lembrem-se que vocês não entender o meu típico baianês “ê lasqueira no caminho da feira” da mesma forma que eu não entendo o “Séloco cachorrera” que meus amigos paulistas falam, portanto, escrevam da forma mais formal possível;

2º Eu sou estudante de arte, portanto, para mim, concisão é uma arte, escrevam sua história em no máximo uma página do word, assim ele não fica cansativo para ler;

3º Pense numa história mais “original”, ou seja, nada de filhos do deus Iop, primos do Gultar, tias do Bolgrot, avós da avó de astrub que pede que você mate os ratinhos e coisas do tipo, histórias assim serão negadas;

4º Lembre-se que uma boa história não precisa necessariamente ser sobre um personagem mega poderoso, que tem a incrível habilidade de chupar cana, dançar Macarena, dar saltos mortais e dançar na chuva com a Ana Mhizar (sim, não esqueci de você, minha vara de tirar cajú), tudo isso ao mesmo tempo, uma boa história não significa personagens overpower;

5º A regra mais importante de todas, use sua criatividade.

6º Se quiser mandar beijo pra alguém, pode, eu não ligo;

Todas as histórias deverão ser enviadas para o email recrutabp@gmail.com (sim, o mesmo email do recrutamento), para diferenciar, coloque o título da mensagem como “História para a mesa do mestre puka” Não esqueça de colocar seu nome no email (tanto faz, pode ser o seu nome real ou o nome do seu personagem, para dar os devidos créditos)

Divirtam-se.

Sessão “O pulo do gato” – Frigost – Mekamute

Olá meus povos e minhas povas,

Eu chegando no ataque surpresa ao mekamute.

Eu chegando no ataque surpresa ao mekamute.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como vocês sabem eu decidi começar um novo projeto no blog chamado “O pulo do gato”, primeiramente vamos saber o que é isso:

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

Hoje eu venho com um post digno para vocês, a vítima da vez foi um dos procurados de Frigost III e este é bem tenso de derrotar, da mesma forma que todos os outros procurados dessa região também são;

Como derrotar:

Como eu disse acima, a luta contra o mekamute é bem tensa e sua forma de combate é semelhante a de um feca, ele entope o mapa de glifos para atormentar a sua mente, é justamente nestes glifos que você precisa prestar atenção pois eles serão a chave da sua vitória ou da sua derrota;

Basicamente, você precisa aprender apenas três coisinhas sobre o mekamute para derrotar ele, são elas:

1º Ele inicia a luta em estado invulnerável, o processo de retirar a imunidade dele é simples e utiliza um glifo para isso, vou explicar ele mais abaixo;

2º Sempre que for possível retire os aliados do mekamute de cima dos glifos ou você terá uma dor de cabeça infernal por causa disso, também faça de tudo para evitar que você e seus aliados iniciem o turno em cima dos glifos do mekamute;

3º No primeiro turno o mekamute ative um veneno de duração infinita, esse veneno causa dano de acordo com a quantidade de PMS utilizados, fique de olho nisso também;

Já que estou falando sobre estes malditos glifos, segue abaixo a lista deles e o que eles fazem:

Glifo branco: Tem uma área imensa, a única região que ele não atinge é cerca de cinco células ao redor do mekamute, esse glifo não é letal mas é responsável por muitas mortes, inimigos que estejam em cima dele perdem 100 de dano e os aliados dele não perdem dano enquanto estão em cima dele;

Glifo verde: O glifo das trevas ocultas, segundo um amigo meu, aliados do mekamute que iniciem o turno em cima deste glifo ganham 8500 pontos de vida e 20% de resistência a todos os elementos, inimigos que iniciem o turno em cima deste glifo perdem 20% de resistência em todos os elementos;

Glifo Vermelho: Esse é o matador, o glifo que causa um dano absurdamente alto, normalmente é utilizado em conjunto com o glifo verde (o mekamute é bem esperto e sempre faz isso), aliados do mekamute que iniciem o turno em cima deste glifo recuperam entre 600 e 800 pontos de vida, inimigos que iniciam o turno em cima dele levam um dano absurdamente algo (o mínimo que eu vi ele tirar foi 900), em conjunto com o glifo verde você pode levar até 2000 de dano, tenha cuidado com este glifo;

Glifo azul (grande): Aliados do mekamute ganham 3400 pontos de escudo caso iniciem o turno em cima deste glifo, inimigos do mekamute que iniciem o turno em cima dele ganham 25% de erosão;

Glifo azul (pequeno): Aliados do mekamute que iniciem o turno em cima deste glifo ganha 3PA, inimigos do mekamute que iniciem o turno em cima dele perdem 3PA;

Mas Axe, como mato esse diabo?

É muito simples, para tirar a imunidade do mekamute você precisar fazer com que ele termine o turno em cima do glifo azul pequeno, para conseguir isto nós usamos dublês de um sram agi que estava no grupo conosco;

A cereja do bolo:

Achou que eu havia terminado? Enganou-se! Ainda existe mais uma informação a respeito do mekamute, os glifos dele são acumuláveis, ou seja, se você começar o turno em cima de dois verdes, perderá 40% de resistência a todos os elementos, o mesmo vale para todos os outros glifos, portanto tenham cuidado;

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço, axe-blond, deusa menor do conhecimento.

Sessão “O pulo do gato” – Frigost – Doutor Goblotnik

Olá meus povos e minhas povas,

Eu, quando tento chegar nas meninas da faculdade...

Eu, quando tento chegar nas meninas da faculdade…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Como vocês sabem eu decidi começar um novo projeto no blog chamado “O pulo do gato”, primeiramente vamos saber o que é isso:

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

Hoje venho trazer para vocês mais um vídeo e desta vez o procurado em questão é o Goblotnik, um cara chato que pode ser encontrado apenas nas florestas da ilha kifril.

Como eu já disse acima, esse cara é bastante chato, mas eu não considero a luta contra ele algo muito complicado, assim como qualquer luta no jogo, a luta contra ele é algo que exige apenas atenção e mais algumas coisinhas que eu vou listar abaixo:

1º Embora não apareça nos status dele, Goblotinik está sempre em estado pesado e gravidade;

2º Ele tem duas invocações, uma que se chama “ovo da morte” e outra que se chama “cascogob instável”, elas tem respectivamente 5000PV e 500PV, fique atento a elas pois o ovo da morte, no turno seguinte em que ele foi invocado, matará todos os inimigos que estiverem a até cinco células de distância dele (o famoso Hit Kill ou H);

Já a casca instável funciona igual ao cascogob (um mob comum da área), no turno seguinte ao que ela é invocada a desgraçada explode e mata quem estiver em linha com ela;

3º Não ataque o Goblotinik estando em linha com ele, caso isso aconteça ele não levará dano;

4º Toda vez que ele ataca alguém, essa pessoa fica em estado incurável por um turno;

5º Cuidado com o veneno dele

Esquema pra derrotar o doutor:

A melhor tática para derrotar o doutor é tirando seu alcance e não permitindo que ele ande, ele também perde PA muito fácil, então classes que abusam disso podem ajudar bastante na luta;

Nossa tática de luta:

Bem… vocês verão no vídeo que o pessoal deu uma de doido e foram morrendo aos montes, mesmo comigo avisando a eles dos efeitos, mas teoricamente a tática foi o que eu descrevi acima, tirar PM dele, alcance e ir batendo até que ele morresse, como ele tem vinte e oito mil de vida a luta sempre demora um pouco, então tivemos que ir na base da paciência e persistência.

Não entendeu nada? Ficou com preguiça de ler? Minha escrita deu câimbra em seus olhos? Então veja a joça de vídeo que gravei abaixo:

Espero que gostem, um abraço, axe-blond, deusa menor do conhecimento.

Sessão “O pulo do gato” – Frigost – Fuji Maternal

Olá meus povos e minhas povas,

Eu me preparando para  a batalha contra a Fuji.

Eu me preparando para a batalha contra a Fuji.

 

 

 

 

 

 

 

 

Como vocês sabem eu decidi começar um novo projeto no blog chamado “O pulo do gato”, primeiramente vamos saber o que é isso:

O pulo do gato é uma gíria baiana, talvez nordestina que significa “Vou lhe ensinar uma maneira mais fácil de fazer algo” e é essa a minha intenção, mostrar a vocês a maneira mais fácil de fazer algo, nesse caso, boss de dungeons, procurados e coisinhas em geral, como encontrá-los e etc.

No post de hoje eu vim mostrar como derrotar o procurado que dá nome a ele, a fuji maternal.

Pretendo ser rápido e curto, então vamos direto ao assunto, o que você precisa saber antes de entrar em combate contra ela, são apenas duas coisinhas:

1º A Fuji ataca apenas na diagonal, evite ficar nessas posições para não tomar um dano absurdamente alto, se você fizer isso ela não lhe fará mal algum;

2º Não deixe a fuji colar em você, caso isso aconteça, ela usa uma magia que causa Hit Kill (bateu morreu) e lhe transforma num mob aliado dela;

Obs: No vídeo eu informo que se ela for corrompida ficaria em estado invulnerável, esta informação está errada, eu não sabia que a magia corrupção do enutrof havia levado um nerf, portanto, ela pode ter seu turno anulado sem problema algum.

O esquema que usamos:

Nossa tática de luta foi a mais simples possível, tirar o máximo de PMs dela (com isso, é só evitar a diagonal que ela não vai bater em você) enquanto matávamos o mob, depois descemos a madeira nela e fim de papo.

Não entendeu o que eu disse? Ainda está em duvidas? Ler o meu texto deu câimbra nos seus olhos? Então, se quiser, veja a joça do vídeo abaixo:

Espero que gostem, um abraço, axe-blond, deusa menor do conhecimento.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 51 outros seguidores